Corregedoria do MPF decide vigiar rede social de procuradores, diz jornal

0

A Corregedoria do MPF (Ministério Público Federal) enviou mensagens a procuradores na 5ª feira (15.ago.2019) dizendo que vai monitorar semanalmente as redes sociais dos membros do órgão. O objetivo é prevenir críticas e abertura de inquéritos administrativos contra aqueles que descumprirem as normas de conduta do MPF.

As informações são da Folha de S.Paulo. Ao jornal, o presidente da ANPR (Associação Nacional dos Procuradores da República), Fábio George Cruz da Nóbrega, disse que a decisão é inaceitável. Afirmou ainda que pode levar a entidade à Justiça.

Já o corregedor-geral, Oswaldo José Barbosa Silva, afirmou aos procuradores que o órgão tem recebido muitas reclamações sobre o comportamento de membros do MPF nas redes sociais. “Os registros informam que cerca de 60 membros do MPF usam as redes habitualmente para manifestarem-se em assuntos de interesse da instituição ou que podem afetá-la”, escreveu em mensagem interna da instituição. Segundo ele, o tema é “tormentoso”.

Deltan na mira
O CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público) é o órgão responsável pela fiscalização disciplinar dos membros do MP. Há vários procedimentos em tramitação no CNMP sobre o tema. Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato em Curitiba, é citado em processos.

Um delesfoi movido pelo senador Renan Calheiros (MDB-AL). O emedebista alega que o procurador tentou deliberadamente intervir contra ele no pleito pelo Senado por meio de postagens no Twitter durante o período eleitoral. Em outro processo, ele é acusado de infração administrativa por conta de críticas feitas a ministros do Supremo Tribunal Federal à Rádio CBN.

Segundo o senador, Dallagnol continuou em campanha para evitar sua eleição à presidência da Casa. Leia alguns dos tweets do procurador aqui e aqui.

Comentários

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here