Criminosos invadem WhatsApp de cantora e mandam mensagens pedindo dinheiro para contatos

0

A cantora Pamela Lima registrou boletim de ocorrência, nesta segunda-feira (20), na Delegacia de Repressão a Crimes de Informática, em Teresina, após ter a conta do WhatsApp invadida por um estelionatário no domingo (19). De acordo com a vítima, o contato inicial foi por meio de uma ligação, em que o bandido se passou por um assessor do cantor Frank Aguiar e pediu os dados pessoais da vítima.

“Ele disse que eu tinha sido convidada para um evento na casa do Frank em São Bernardo do Campo, dia 25, e que eu tinha que levar três acompanhantes e fornecer nome completo, CPF e o número do telefone e eu acabei acreditando, dei todos os meu dados para ele”, relatou.

No momento da ligação o golpista explicou que a cantora iria receber um código via SMS e e-mail e que era necessário realizar a verificação e fornecer os números para ele.

“Depois que eu passei os dados e os códigos, ele desligou a ligação. Fui tentar entrar no meu Whatsapp e já não consegui mais”, disse.

Pamela chegou a falar pelo celular de um amigo com o criminosos, mas o mesmo disse que só iria lhe entregar a conta se ela transferisse certa quantia de dinheiro.

O criminosos utilizaram a conta da cantora no WhatsApp por cerca de cinco horas. “Percebendo que fui vítima desse golpe, fui nas minhas redes sociais e divulguei o caso. Recebi ligações dos meus amigos o dia todo, perguntando porque eu estava pedindo dinheiro. Ele conseguiu com que um dos meus contatos transferisse o valor de R$ 1900, felizmente meu amigo conseguiu a devolução do dinheiro”, afirmou.

Veja como se prevenir do golpe

A recomendação é que a pessoa ative a verificação em duas etapas para impedir o acesso dos golpistas. O usuário pode ativar aa função em configurações/ajustes > conta > verificação em duas etapas. Desta forma, é possível cadastrar uma senha que será solicitada periodicamente pelo app.

Se, por acaso, acontecer da conta ter sido clonada, é importante registrar o boletim de ocorrência juntamente com as vítimas que fizeram a transferência para que a polícia possa investigar o crime.

Fonte G1

Comentários