Juíza ordena que Facebook retire publicações contra Camilla Barros

0

A família da piauiense Camilla Rodrigues Barros, assassinada pelo ex-namorado Luiz Pereira da Silva em Campinas (SP) no dia 03 de janeiro, conseguiu na Justiça a ordem para que a rede social Facebook retire do ar as postagens feitas pelo autor do feminicídio nas vésperas do crime. Nas publicações, constam difamações e ameaças contra Camilla.

A decisão judicial que determina a retirada das postagens foi proferida, em caráter liminar, no início da tarde desta quarta-feira (15), pela juíza de direito Vanessa Miranda Tavares de Lima, da 4ª Vara Cível da Comarca de Campinas, do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo.

Na sentença, a magistrada concorda com as alegações apresentadas pela advogada Maíra Calidone Recchia Bayod, contratada pela família da vítima. “Denota-se que a mensagem postada pelo agressor nas redes sociais não se configura como mera liberdade de expressão. A imagem e o texto que a segue demonstram uma clara ofensa à imagem da falecida”, assegura a juíza.

Diante do exposto, ficou determinado ainda multa de R$ 5 mil por dia, caso o Facebook não cumpra a ordem judicial.

Discurso de ódio

A advogada Maíra Calidone argumenta que, permitir que permanecesse no ar as publicações que ferem a honra e a memória de Camilla, seria compactuar com os crimes de ódio cometidos contra as mulheres. “Permitir que tais desculpas para o cometimento de um crime permaneçam para sempre na Internet seria o mesmo que aceitar pacificamente tais crimes de ódio contra mulheres”, diz Maíra.

Em uma das publicações no Facebook, Luiz Pereira inicia coma frase “Por trás de uma tragédia”, afirmando no final que “uma pessoa dessas merece morrer”.

Entenda o caso

Camilla Rodrigues Barros, natural de Parnaíba, foi assassinada a tiros pelo ex-namorado Luiz Pereira da Silva, em um escritório no Jardim Chapadão, localizado em Campinas (SP) no dia 03 de janeiro. Após cometer o crime, Luiz cometeu suicídio.

Os dois já estavam separados e desde então Camilla vinha sofrendo ameaças. Um dia antes do crime, Luiz Pereira fez uma postagem no Facebook tentando mostrar motivos para assassinar a vítima.

GP1

Comentários

COMPARTILHAR