Mãe diz que não queria vender a criança, mas foi pressionada pelo casal

0

criança de apenas três meses supostamente vendida por R$ 10 pela própria mãe foi localizada, na manhã desta segunda-feira (20), na região da Pedra Mole, zona Leste de Teresina. Em entrevista ao O Dia, a mãe, Elen Solange Alves dos Santos, de 36 anos, confirmou que não vendeu o bebê. “Meu filho não é um pedaço de carne para ser vendido”, disse.

Segundo informações do delegado Erisvaldo Machado, titular do 22º DP, o casal foi localizado pela Polícia Civil e está na sede da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA) prestando esclarecimentos. O casal, ainda não identificado, mora na região da Pedra Mole e tem um filho.

Em depoimento à Polícia Civil, a mãe informou que não queria vender a criança, mas foi pressionada pelo casal. “Ela disse que estava embrigada ou drogada, que não lembra o que aconteceu. Ela disse que não queria vender a criança, mas foi pressionada por esse casal”, relatou o delegado Erisvaldo Machado.

Na delegacia, a mãe se recusou a dar entrevistas, mas falou que estava embrigada no dia em que entregou a criança ao casal e alegou ser usuária de drogas. A informação foi confirmada pelo filho dela, de 20 anos.

“Ela é dependente química, é usuária de crack. Não é a primeira vez que isso acontece, ela foi denunciada duas vezes por abandono de incapaz, porque ela usava drogas, deixava a criança largada e os vizinhos denunciaram. Essa minha irmã já é o terceiro caso”, disse, acrescentando que a mulher tem oito filhos e apenas a bebê estava sob os cuidados dela.

O irmão do bebê afirmou ao O Dia que quer a guarda da criança. Ele acompanhou os policiais até a delegacia e disse que a mãe não tem condições de criar a menina. Segundo ele, a bebê deve ser criada por uma irmã, de 17 anos. “Minha irmã vai fazer 18 anos em setembro, ela já é casada e tem filho, então ela vai saber criar”, relata.

Segundo ele, a família não conhece o casal que estava com o bebê. “Ela entregou o bebê pra esse casal no domingo, quando eu soube disso, procurei o casal, mas eles tinham dado o número errado. Então na sexta-feira eu fui na polícia. Hoje, eles contaram pro delegado que estiveram lá em casa pra deixar a criança na segunda, mas não encontraram ninguém. Se eu tivesse lá, eu teria ficado com ela”, diz.

A criança agora está sob os cuidados do Conselho Tutelar da Zona Norte. Segundo o conselheiro Frederico Kaiser, o Conselho Tutelar está acompanhando o caso e deverá também buscar informações sobre os demais filhos menores de idade de Elen Solange.  “Não vamos cuidar bem apenas da criança, precisamos também ajudar a mãe. A informação que nós temos é que ela é dependente química. Então não adianta apenas proceder com a criança se não ajudarmos a mãe a superar essa situação”, afirmou.

O conselheiro reiterou ainda que a menina deve ser conduzida para um abrigo ainda no dia de hoje, até que a Justiça decida com quem ficará a guarda.

Portal O Dia

Comentários

COMPARTILHAR