Prédio que desabou em Fortaleza estava em obras, dizem moradores

0

Suelen foi presa no dia 23 de julho, no apartamento em São Paulo em que vivia com o marido, o DJ Gustavo Henrique Elias Santos. Ele continua preso. Segundo a jovem, Delgatti e o marido eram amigos. “Ele (Delgatti) não soube usar a inteligência dele. Ele é uma pessoa muito sozinha, uma pessoa carente. Mas realmente eu não sabia da vida dele. Eu podia até prejudicar ele se eu quisesse, porque ele está prejudicando a minha vida”, afirmou Suelen na entrevista, feita por videoconferência, sem explicar como poderia prejudicá-lo. Depois de deixar a prisão, onde ficou por 70 dias, a jovem voltou para Araraquara, onde vive sua família.

Durante cerca de uma hora de conversa, a jovem contou que tem tomado remédios para dormir, que sente medo de ficar sozinha e se assusta até com o barulho de ranger de portas.

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra a condição das colunas de sustentação do prédio que desabou em Fortaleza (CE) na manhã desta terça-feira (15/10/2019). Até o momento, duas mortes foram confirmadas. Há informações de que sete pessoas foram resgatadas com vida.

Compartilhada por um morador do edifício, a gravação mostra as colunas desgastadas da estrutura que ruiu. “Tragédia anunciada”, diz na descrição do vídeo postado no Twitter. Ao jornal Diário do Nordeste, o homem conta ter se assustado com a situação do prédio. Segundo ele, a intervenção não foi comunicada aos condôminos.

O Corpo de bombeiros informou que ainda não há um número exato de vítimas. De acordo com relatos de testemunhas da tragédia, moradores foram vistos dentro do edifício pouco antes do desabamento – muitos deles correram após os primeiros tremores.

A Defesa Civil e a Polícia Militar também estão no local.

Os bombeiros pediram para que todos os moradores da região deixem suas residências. Segundo a corporação, há risco de explosões por eventual vazamento de gás, além de choque elétrico devido aos fios de energia espalhados pela rua.

Com o desabamento, um edifício vizinho ficou com o muro avariado. Alguns carros estacionados perto da construção que foi ao chão ficaram cobertos de areia. Por segurança, o trânsito foi interrompido nas redondezas.

Por meio de nota, a Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS) informou que “toda a estrutura dos órgãos de segurança foi direcionada para o bairro Dionísio Torres”. “O Corpo de Bombeiros atua com equipes de resgate especializadas em estruturas colapsadas e cães farejadores, além de equipamentos como drones, utilizados na varredura da área, e plataforma mecânica que possibilita visão elevada e central de toda a estrutura.”

Também atuam na ocorrência a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) aérea da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer) e 11 ambulâncias do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu).

Fonte: Metrópole

Comentários

COMPARTILHAR