PRF faz alerta para divulgação de blitz na rede social: “ação é crime”

0

A Polícia Rodoviária Federal faz um alerta para as pessoas usuárias de redes sociais que divulgam blitzen. Segundo o inspetor Jorge Madeira, a prática é crime, tipificada no artigo 265 do Código Penal que versa sobre o “atentado contra a segurança de serviço de utilidade pública”.

“Hoje é uma prática muito comum as pessoas informarem rapidamente pelas redes sociais os locais em que estão acontecendo as blitzen. E é válido informar que se trata de um crime de atentado contra a segurança pública. O crime prevê para o condenado de 1 a 5 anos de reclusão mais multa”, disse ele.

O inspetor da Polícia Rodoviária Federal informou ainda que a fiscalização para esse tipo de crime tem sido intensificada e pede a colaboração da população para que denuncie e informe, por meio de provas, a prática, a fim de que as medidas cabíveis sejam tomadas.

“Nós estamos intensificando nossa fiscalização a respeito desse tipo de crime, mas é um tipo de fiscalização difícil, pois precisa de denúncia, precisa de comprovação. Estamos realizando blitzen diuturnamente, em horários aleatórios, justamente para dificultar a divulgação por esse tipo de usuário que tenta informar onde a viatura da PRF está fazendo a fiscalização”, destacou.

Jorge Madeira disse que é notável a prática, visto a diminuição no trânsito quando iniciam a fiscalização em determinado ponto da cidade.

“Sabemos que isso acontece diariamente. Quando a viatura da PRF chega em determinado local, dentro de 5 a dez minutos, as pessoas que passariam por ali começam a desviar a rota ou a voltar para não ter que passar pela fiscalização, já informados, antecipadamente, por grupos em redes sociais”, disse. As informações do Cidades na Net.

Comentários