Quinta, 24 de Setembro de 2020 08:49
86 998652221
Geral Brasil

Entregador que foi humilhado em Valinhos ganha moto de Luciano Huck

O vídeo em que o entregador é humilhado com ofensas racistas em um condomínio de casas de luxo em São Paulo viralizou nessa sexta-feira.

08/08/2020 16h03 Atualizada há 2 meses
Por: admin
Luciano Huck dá moto para entregador vítima de racismo
Luciano Huck dá moto para entregador vítima de racismo

O apresentador Luciano Huck publicou, nesta sexta-feira (7/8), um vídeo no qual surgiu conversando com o motoboy Matheus Pires, que foi humilhado e sofreu ofensas racistas de um homem branco em Valinhos, no interior de São Paulo.

No diálogo, Luciano prometeu que daria uma moto ao entregador de aplicativo. “Vergonha, tristeza e revolta. Foi o que senti quando recebi este vídeo. Nele está tudo contra o que lutamos. Matheus Pires foi corajoso e não baixou a cabeça pro preconceito”, disse Luciano.

No vídeo que ganhou repercussão nas redes sociais nessa sexta-feira (07), um homem dispara ofensas racistas contra o entregador, e ele chega a dizer que o motoboy tem “inveja”, apontado para as casa de luxo e para o braço, indicando que o entregador teria inveja da cor da pele.

Durante a discussão, o homem menospreza a profissão de Matheus Pires. “Quanto que você tira por mês? Você não tem nem onde morar, moleque”, dispara o homem

Entenda o caso

Um vídeo que circulou nas redes sociais nesta sexta-feira (7) causou comoção (e revolta) nacional. Nele, um motoboy entregador de aplicativo é humilhado e vítima de injúria racial por parte do morador de um condomínio fechado, em São Paulo.

Matheus Pires tem 19 anos, é de Valinhos, cidade do interior paulista, e foi agredido no último dia 31 enquanto entregava uma refeição solicitada via aplicativo. Segundo ele, o agressor começou a ofendê-lo a partir do momento em que ele comentou, em tom de brincadeira, que outros entregadores não falavam bem do cliente em questão. “No que eu cheguei, fiz um comentário que ele não gostou. Falei que os motoboys estavam falando mal dele. Falei num tom de brincadeira, mas ele não gostou”, compartilhou.

A partir daí começaram as agressões, que não se resumiram a palavras. Ainda conforme Matheus, o vídeo que viralizou não mostra, mas Mateus Abreu Almeida Prado Couto cuspiu em seu rosto. “Quando começaram as atitudes [gravadas no vídeo], os vizinhos vieram para fora. Ele ficou puto. Tanto que ele cuspiu em mim, imitou macaco, falou que eu era macaco”, detalhou.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.