Quinta, 13 de Maio de 2021 03:38
86 998652221
Politica & Economia Política

MP pede que TCU investigue férias de R$ 2,4 milhões de Bolsonaro

O subprocurador Lucas Furtado disse, em representação, que a quantia é "assombrosa". Ele quer que os gastos sejam detalhados

05/04/2021 15h04
Por: admin Fonte: Metrópoles
Igo Estrela/ Metrópoles
Igo Estrela/ Metrópoles

O subprocurador-geral do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União (TCU), Lucas Furtado, pediu que a Corte investigue a quantia de R$ 2,4 milhões gasta pelo presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido), durante as férias em São Paulo e Santa Catarina.

Na representação, Furtado diz que os valores são “assombrosos” e pede que os gastos sejam detalhados. Ele ainda cita o agravamento da pandemia no país e a necessidade de corte de gastos públicos. “Causou-me indignação a notícia de que o presidente tenha gasto o exorbitante montante”, escreveu.

“O tribunal, no cumprimento de suas competências constitucionais de controle externo de natureza contábil, financeira, orçamentária, operacional e patrimonial da Administração Pública federal, decida pela adoção das medidas necessárias a conhecer e avaliar a natureza e a composição das despesas”, diz trecho do documento.

Leia na íntegra

Férias de Bolsonaro

Os 18 dias de férias do presidente em São Paulo e Santa Catarina custaram R$ 2,3 milhões aos cofres públicos. Na prática, significa um gasto médio de R$ 124 mil por dia.

As despesas partiram de balanço feito pelo deputado federal Elias Vaz (PSB-GO). O levantamento do parlamentar, a partir de dados públicos, mostra que o gasto com cartão corporativo da Presidência da República foi de R$ 1.196.158,40, enquanto despesas com manutenções e combustível de aeronaves foi de R$ 1.053.889,50.

Já as diárias da equipe de segurança presidencial ultrapassaram R$ 202 mil.

 

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.