Sexta, 18 de Setembro de 2020 23:27
86 998652221
Brasil CORONAVÍRUS

Saúde confirma 679 óbitos pelo coronavírus em 24h

Consórcio dos veículos de imprensa Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL vai divulgar balanço às 20h

08/06/2020 19h18
Por: admin
O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: EDU ANDRADE / FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO
O ministro interino da Saúde, Eduardo Pazuello Foto: EDU ANDRADE / FATOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

O Ministério da Saúde confirmou novos 679 óbitos pelo coronavírus nesta segunda-feira, 8, totalizando 37.134 vítimas da doença. No mesmo período, houve o diagnóstico de 15.654 novos casos de infecção e agora são 707.412 no total. O Brasil é o terceiro país com mais mortes no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos e do Reino Unido.

Na semana passada, a gestão Jair Bolsonaro vinha divulgando os números de casos e mortes por coronavírus por volta das 22 horas e ainda sinalizou que faria uma recontagem das vítimas. A postura do governo federal motivou críticas de gestores da área de saúde, cientistas e parlamentares sobre falta de transparência do ministério. Nesta segunda, os dados foram divulgados em coletiva de imprensa, iniciada às 18 horas.

Em resposta à decisão do governo Jair Bolsonaro de restringir o acesso a dados sobre a pandemia de covid-19, os veículos de comunicação formaram uma parceria para trabalhar de forma colaborativa para buscar as informações necessárias nos 26 Estados e no Distrito Federal. Participam da iniciativa O Estado de S. Paulo, Folha de S.Paulo, O Globo, Extra, G1 e UOL, que divulgarão os novos números de óbitos às 20h.

Segundo o Estadão mostrou nesta segunda, a mudança na divulgação foi feita a pedido de Bolsonaro. O presidente exigiu para a equipe que o balanço tivesse menos de mil novas mortes por dia.

Segundo especialistas, ter transparência e qualidade na divulgação dos dados sobre infecções e mortes em decorrência da covid-19 é fundamental para compreender a evolução da pandemia. É isso que mostra onde novos casos estão surgindo, onde a epidemia ainda está em curva ascendente e onde está arrefecendo. Sem clareza e segurança sobre esses números, apontam cientistas, é impossível tomar decisões sobre quais lugares precisam de reforço para a abertura de leitos de UTI, a oferta de respiradores ou mesmo em quais é possível iniciar os movimentos de abertura do isolamento social.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou que contenham palavras ofensivas.